Archive for the 'Mídias Sociais' category

E se ao invés de influenciadores digitais, sua marca não se tornasse, ela própria, uma digital influencer?

Essa é a proposta do meu pós-doutorado: encontrar recursos, atitudes e possibilidades para que as marcas sejam influenciadoras no ambiente digital, tal e qual, os influenciadores digitais, mas sem precisar, necessariamente, deles em sua estratégia de presença, engajamento e visibilidade.

Episódios recentes envolvendo falas e atitudes de influenciadores digitais fizeram com que o mercado de marketing de influência se visse abalado.

Um dos influenciadores digitais com maior número de seguidores do cenário digital brasileiro, Júlio Cocielo, viu sua reputação abalada ao fazer uma “brincadeira” com o jogador de futebol francês, Mbappé, ao relacionar a sua velocidade em campo à capacidade de realizar um arrastão nas praias nacionais. Foi imediatamente questionado e criticado pelas audiências das redes sociais e teve seu caso amplamente noticiado pela imprensa. Após o ato, perdeu parcerias com marcas.

Extrato da notícia da publicação Meio & Mensagem com os posicionamentos das marcas rompendo parceria com o influenciador.

Outro caso que chamou a atenção foi do ator e também celebridade digital, Bruno Gagliasso. Após se pronunciar sobre o caso de Cocielo, os internautas vasculharam postagens antigas do ator e encontraram comentários homofóbicos e misóginos e os trouxeram à tona. Gagliasso perdeu parcerias com marcas e uma futura campanha na Prefeitura do Rio de Janeiro em combate à homofobia.


Figura n.X – Extrato da notícia[3] sobre o cancelamento da campanha com Gagliasso com a temática LGBTFobia, da Prefeitura do Rio de Janeiro.

A seguir, o posicionamento do ator em relação ao ocorrido.


Figura n.X – Tweet[4] de desculpas do ator sobre postagens antigas.

Outro influenciador que se viu em meio a uma confusão online foi Whindersson Nunes[5] que, ao participar do programa televisivo Caldeirão do Huck, fez uma simulação de que estaria usando libras, quando na verdade, estava brincando com a situação. Criou mal estar junto à comunidade de surdos e também junto à imprensa e usuários de mídias sociais. Teve que se explicar e pedir desculpas.


Figura n.x – Caso Whindersson Nunes e a “brincadeira” com a linguagem de libras.

Ou seja, quando uma marca se une à figura de um influenciador digital, corre o risco de ser associada ao que as pessoas, usuários, consumidores, imprensa e afins pensam sobre a parceria. E, mais, atualmente os usuários fazem questão de chamar às marcas à ação em relação a atitudes polêmicas dos influenciadores digitais. Vejam o exemplo de uma usuária que tagueia as marcas que usavam Gagliasso como garoto propaganda.

Vemos, aí, uma oportunidade das marcas se posicionarem, elas próprias como influenciadoras e não dependerem de tais figuras para atingirem suas audiências.

[1] Disponível em: https://twitter.com/buzzfeedbrasil/status/1013460225620357120?s=11. Acesso em 10/07/2018.

[6] Disponível em: https://twitter.com/Chris_Delgado/status/1014885062775640065. Acesso em 10/07/2018.

No responses yet

O golaço da Panini

A Copa do Mundo vem se aproximando e com ela as ações de marca relativas a um dos maiores eventos esportivos do mundo.

Pois muito bem! Eis que a editora Panini, que fabrica o álbum de figurinhas da Copa foi super criativa e mandou à Bruna Marquezine, atriz global, mas também influenciadora digital, um exemplar com várias figurinhas repetidas do Neymar.

Associada ao presente, a Panini ainda mandou uma cartinha provocando: “Bruna, figurinha repetida, preenche álbum?” A ação foi diretamente para o Stories (Instagram) da atriz e imediatamente chamou a atenção dos usuários de mídias sociais e da imprensa.

Se a marca não tivesse tido a criatividade que teve, aliado ao bom humor, não teria conseguido os excelentes resultados de mídia espontânea que obteve.

Em tempos de relacionamento PAGO com influenciadores digitais, conseguir exposição gratuita em um dos perfis com maior número de seguidores e com tamanha visibilidade, faz uma diferença imensa. Fora isso, diversas publicações importantes se interessaram pelo caso e noticiaram o fato, como Exame, Catraca Livre, Portal Vírgula, Estadão, Gazeta do Povo, Folha, entre tantos outros.

A atriz ainda pediu que o namorado autografasse algumas das figurinhas repetidas para que ela pudesse trocar com os internautas.

Foi ou não um gol de placa de ambas as partes? Senhora ação de relacionamento! Para os estudantes de plantão, isso se chama Relações Públicas Digitais. ;-)

No responses yet

Sobre uvas passas, alcance orgânico e engajamento

Como a Bauducco driblou o algoritmo “perverso” do Facebook e encaixou um post com centenas de milhares de curtidas

Uma postagem sobre uva passa chamou a atenção de muita gente no Facebook essa semana. Isso porque a Bauducco se propôs a criar uma colomba pascal com 200% de uvas passas! Rs! Houve quem adorasse e houve quem odiasse. O fato é que as pessoas amaram a ousadia da marca.

Até o dia de hoje, 15/03, o post contabilizava 142 reações, 10.545 compartilhamentos e mais de 27 mil comentários. A receita de tamanho sucesso? Conteúdo inusitado, engraçado, combinado a uma estratégia de relacionamento da marca. Sim, a marca, ao que tudo indica ainda fez uma força-tarefa para responder às dezenas de milhares de comentários com gifs, figurinhas e boas respostas. Para quem curte uma teoria, RP Digitais na veia. Para quem fala a língua do mercado, apenas, engajamento na prática.

O fato é que a Bauducco conseguiu dar um belo drible no algoritmo do Facebook à medida em que chamou a audiência para o engajamento. As pessoas marcavam outras, compartilhavam o post e a publicação viralizou. Portanto, não precisou ser patrocinada/paga, nesse caso.

Até onde vai a colomba de uva passa? Não foi muito longe…rs! A ação foi um teaser para um lançamento da marca em parceria com chocolates Snickers.

E para quem quiser aprender/dialogar/trocar comigo sobre conteúdo em mídias sociais, tenho alguns cursos a acontecer:
Gestão de conteúdos em mídias sociais – 23 e 24/04, das 14h às 18h.

Gestão de relacionamentos nas mídias sociais – 25/04, das 14h às 18h.

Relacionamento com Influenciadores – 25/04, das 18h30 às 22h30.

Mídias sociais para PMEs - 26/04, das 14h às 18h.

No responses yet

A maior live do Oscar do mundo e as marcas que patrocinaram

mar 13 2018 Published by under Mídias Sociais

Um dia depois do Oscar 2018 e o influenciador digital, Felipe Neto, colecionava uma transmissão no Youtube de quase 4 milhões de visualizações. E não foi qualquer live. Foi a-Live! Uma live de quase 6 horas, madrugada adentro, falando sobre os filmes, diretores, atores, atrizes e outras premiações do Oscar 2018.

Felipe e sua equipe, devidamente paramentados em um estúdio montado e patrocinado por duas marcas – Bib’s (Neugebauer) e um curso de inglês (que eu não consegui identificar!) – falou sobre os filmes, fez quizzes, brincou com a audiência, respondeu perguntas, interagiu e, por fim, ganhou ele próprio o oscar da internet! O oscar de maior transmissão de todos os tempos.

Segundo dados da Veja Rio, os números astronômicos de Felipe Neto ultrapassaram os canais do jornal Washington Post, da revista People, da TNT – que fechou parceria com o canal Pipocando – do portal Omelete e da própria live do Oscar, quando apresentou os indicados do ano, de acordo com dados do site da Revista Veja Rio (2018). O portal da Veja ainda chamou a transmissão de Felipe Neto de “maior live do Oscar do mundo”.

Mas, e as marcas que patrocinaram a tal live?

Sabem como chocolate Bib’s aproveitou? Fazendo três míseros posts que, juntos, não somaram mil curtidas: post 1, post 2, post 3.

Por que não pediram ao Felipe Neto que gravasse um vídeo exclusivo para o canal da marca? Por que não pediram que na descrição do canal do Felipe ele fizesse menção às marcas patrocinadoras? Por que não pensaram em ações mais longevas para a marca pós Oscar? Penso que o patrocínio deva ter custado bem caro para quem o fez. Minha dúvida é: será que reverteu em vendas para as marcas?

Faltou, claramente, um letramento midiático (isso é Jenkins, 2008, p. 48!) para as marcas que patrocinaram o canal. Elas não souberam aproveitar, em minha opinião, a grande visibilidade do influenciador digital. Quem ganhou todos os holofotes da maior transmissão do Youtube de todos os tempos? Foram as marcas? Não, foi o influenciador. Única e exclusivamente, ELE.

Vale a pena usar uma estratégia de uso de influenciadores? Claro que vale, desde que a marca saiba aproveitar a figura do creator tão bem quanto o dinheiro que ele vai embolsar.

Para quem quiser discutir mais sobre o assunto, vou dar dois cursos sobre como gerir relacionamentos com influenciadores:
-Abracom, 29/3, 14h às 18h.

-Cásper Líbero, 25/4, das 18h30 às 22h30.

No responses yet

Cursos de mídias sociais na @Cásper Líbero, de 23 a 26/04/18

jan 31 2018 Published by under Comunicação, Mídias Sociais

Novas edições dos cursos de mídias sociais na Faculdade Cásper Líbero, em SP, de 22 a 26 de Abril de 2018.

Confira:

Gestão de conteúdos em mídias sociais – 23 e 24/04, das 14h às 18h.

Gestão de relacionamentos nas mídias sociais – 25/04, das 14h às 18h.

Relacionamento com Influenciadores – 25/04, das 18h30 às 22h30.

Mídias sociais para PMEs - 26/04, das 14h às 18h.

No responses yet

Samarco e Pugliesi: duas crises, dois jeitos de lidar com os problemas

Anos de crises são pratos (fundos) cheios de casos para nós, profissionais de comunicação. Assistimos, quase que diariamente, a casos de organizações, celebridades e personalidades que se veem envolvidas em problemas, crises, percalços. Fato é que os dois que vou contar abaixo não têm a ver com a crise política-econômica do País.

Uma problemática muito triste que está sendo vivenciada pela população da cidade mineira de Mariana foram as quedas das barragens ocasionadas pela mineradora Samarco. Muitas famílias ficaram desabrigadas, há mortes e muitas consequências negativas decorrentes da situação. A empresa, porém, não tem se escondido ou se eximido da culpa.  Eis algumas de suas ações que servem como referência em momentos de crise:

-       colocaram seu principal executivo para dar explicações em todos os meios (coletiva de imprensa, entrevistas e nas redes sociais)

-       têm usado as redes sociais como disseminadoras de informação e como meios de divulgação de seus boletins. Até nomearam os boletins como “Samarco Informa”. O pessoal de comunicação tem respondido às críticas na rede, veja aqui um exemplo. E, olha, que eles têm sido chamados de assassinos e outras coisas mais. Não esmoreceram. Seguem na linha de informar.

Costumo dizer em aula que tudo o que acontece com uma organização, marca ou mesmo com a gente gera um rastro digital na rede. O rastro que a Samarco está deixando, a meu ver, aqui, pelo menos no que tange à gestão da crise, é de tentar solucionar, informar, estar presente e não de ausência ou de negação.

Postura essa bem diferente à adotada por uma das principais influenciadoras fitness do mundo digital, Gabriela Pugliesi, que dentre tantas polêmicas em que já esteve envolvida, dessa vez está sendo acusada de instigar a qualquer custo a magreza e ainda se defendeu: agora, é pecado ser magra. Seu vídeo com comentários de que a amiga poderia divulgar seus “nudes”, caso saísse da dieta causou polêmica e muitos comentários. De novo, a blogueira foi alvo de críticas e retaliações. Defendeu-se dizendo que tudo o que posta na rede vira polêmica.

 

 

Independente se você leitor, é a favor ou contra a Samarco ou Pugliesi, o que extraímos de ambos os casos é que: esclarecer, informar e ser transparente é sempre a melhor estratégia.

2 responses so far

Conteúdo é rei, mas a mídia também faz parte da realeza!

set 04 2015 Published by under Comunicação, Mídias Sociais

É com esse título que começo o meu artigo no ebook gratuito: “Comunicação, Mercado e Tecnologia”, organizado por Cláudia Maria Arantes Assis, Jefferson Ferreira Saar e Rafael Vergili.

O ebook traz nove artigos de profissionais, professores e acadêmicos da área de comunicação, mídias sociais, marketing digital, entre outros.

Vale conferir!

Para baixar, basta acessar: http://pt.slideshare.net/GrupoComertec/comunicao-mercado-e-tecnologia-volume-1.

 

2 responses so far

Mídias sociais como estratégia de relacionamento com as marcas

ebook "Organização, Mídia e Mercado"

Participo com outros super autores de um ebook GRATUITO recém-lançado Organização, Mídia e Mercado – perspectivas teóricas e empíricas de estratégias midiáticas e mercadológicas de comunicação organizacional, editado pela Edunisc e organizado por Elizabeth Huber Moreira, Grazielle Betina Brandt e Fabiana da Costa Pereira.

Parafraseando meu colega de obra, Marcello Chamusca, “A obra reúne reflexões e pesquisas de importantes profissionais da nossa área, dentre os quais posso destacar como exemplo os(as) doutores(as) Eugênia BarrichelloDaiana StasiakCarolina Terra (eu!) e Marcondes Neto“.

No ebook, meu capítulo versa sobre Mídias sociais como estratégia de divulgação e relacionamento da marca e aproveito para contar um pouco do caso da Chocolates Garoto (página 84), onde também tive o prazer de trabalhar.Para fazer o donwload, basta acessar: http://www.unisc.br/portal/pt/editora/e-books/411/organizacao-midia-e-mercado.html.

Aproveitem, tem muito artigo bacana por lá!

No responses yet

Lançamento de site, livro e vídeos marcam os 30 anos de carreira do RP Manoel Marcondes Neto

O cenário era desafiador e a verba, curta. Foi assim que em 2012, o profissional de Relações Públicas Manoel Marcondes Neto queria comemorar seus 30 anos de estrada, lançar seu website (www.rrpp.com.br), vídeos técnico-didáticos e seu quarto livro “A transparência é a alma do negócio: o que os 4 Rs das Relações Públicas podem fazer por você”.

Para isso, a estratégia foi distribuir a verba entre a mídia tradicional, na proporção de 15% e mídia digital, com 85% do total dos investimentos.

A primeira etapa consistiu na criação de uma logomarca para Marcondes que denotasse suas diferentes atividades como autor, consultor e professor-pesquisador.

Na mídia tradicional, o foco dos anúncios se deu em jornal com foco em públicos específicos de Economia, Gestão e Negócios, em veículos como O ESTADO DE S. PAULO e  VALOR ECONÔMICO. Os anúncios direcionavam o leitor para as ações interativas na internet.

No ambiente digital, foi criada uma fanpage com promoções, sorteios de livros, chats e interações. O Twitter  foi utilizado como suporte nas divulgações e o Youtube, aproveitado para a divulgação dos vídeos sobre o livro e website. Até mesmo investimentos em links patrocinados e compra de palavras no Google Adwords foram feitos para direcionar interessados na temática a encontrar informações a respeito do livro e website.

Em dois meses de ação, segundo dados da Mediterrânea Propaganda & Marketing Integrado, responsável pelo lançamento do livro e pela campanha, foram:

- 62.138 visualizações no Youtube

- 469 curtidas na Fanpage

- 89 seguidores adicionais no Twitter

- Matérias espontâneas publicadas em sites como Nós da Comunicação, Mundo do Marketing, Conferp, Blog Relações, RPitacos, InPress, Portal Making Of, entre outros.

Além das ações acima discutidas, a campanha ainda foi composta por banners no site PEGN, ações de sorteios e distribuição de livros, palestras, eventos e encontros em que Marcondes participou a convite de instituições diversas.

A campanha teve início em 27 de março e encerrou-se a 21 de dezembro de 2012.

One response so far

Infográficos são parte da estratégia de divulgação, comunicação e relacionamento das marcas

Sabemos que a web e as mídias sociais trouxeram uma nova linguagem visual, comunicativa e de relacionamento entre organizações e seus públicos, clientes, interessados, fãs etc.

Uma das formas de maior sucesso e que atinge os usuários das redes são as imagens e, mais recentemente, os famosos e “da moda” infográficos.

Outras razões pelas quais os infográficos fazem sucesso são o seu apelo visual e as características de imediatismo, simplismo e reducionismo que nós, leitores e consumidores das mídias sociais, temos.

Os infográficos reúnem textos curtos, gráficos, imagens, dados e informações com grande potencial de compartilhamento.

Essa semana recebi três infográficos da Bauducco que utilizam essa linguagem para contar a história dos 60 anos da empresa, como se dá o processo de fabricação do panettone e o terceiro sobre as tradições do Natal. Os três estão integrados graficamente e trabalham informações curiosas, que despertam o interesse do leitor. Seria uma união entre o storytelling e um novo formato comunicacional?

Para ver os infográficos citados:

Uma história irresistível: http://bit.ly/VRKJSa

Como começa o melhor do Natal:  http://bit.ly/VRLlav

Tradições Natalinas: http://bit.ly/VRLjzw

O celeiro dos infográficos tem sido o Pinterest. Para conhecer os que eu compartilhei, acesse: http://pinterest.com/carolterra/. Outra excelente fonte é o próprio Facebook.

E você o que acha do infográfico como estratégia de comunicação?

2 responses so far

Older posts »