Influenciadores digitais, publicidade e consumo é tema do APPCast

jul 02 2020

Tive a honra de participar do podcast da Associação dos Profissionais de Propaganda (APP) junto com Murilo Oliveira (IWM Agency) e Hayim Makabee (KashKlik) sob a coordenação de Alexandre Luppi, Sílvio Soledad e Adão Casares.

O AppCast pode ser ouvido em: https://open.spotify.com/episode/7kLxQG4AxSMMIs7ygwJAy7?si=riSu6WIuT1qtKYX1sCTzLw.

Tem conversa sobre como encontrar influenciadores, as crises envolvendo essas figuras, como o BBB da Globo ganhou audiência com a participação deles no programa, entre outros assuntos.

 

No responses yet

Falem bem ou mal, mas falem de mim?

mai 12 2020

Esse é um dos motes do artigo que João F. Raposo e eu escrevemos no site do ProXXIma, no dia 11 de Maio de 2020. Discutimos situações em que marcas, autoridades e outros agentes optaram pelo caminho da popularização de seus conteúdos, ainda que na via negativa.

Outro artigo nosso que saiu hoje, 12 de Maio, versa sobre a transformação das marcas diante do cenário da pandemia do Novo Coronavírus. Ali, falamos de exemplos e situações em que as marcas se viram compelidas a ajudar o contexto o qual fazem parte.

Convido vocês à leitura e ao debate dos dos artigos.

ProXXima (2020) 

 

No responses yet

Livro grátis sobre Opinião Pública, Comunicação e Organizações é lançado pela Abrapcorp

abr 15 2020

Com organização de Luiz Alberto de Farias, Else Lemos e Claudia Rebechi, o livro “Opinião Pública, Comunicação e Organizações” está lançado com artigos de diversos autores da área de comunicação, como Márcio Simeone, Beth Saad, Ângela Marques, Ivone Lourdes de Oliveira, além, é claro, dos próprios organizadores da obra.

Eu e Gisela Sousa assinamos o capítulo que versa sobre a Opinião Pública em tempos de mídias sociais. Ali, discutimos a questão da midiatização, da comunicação desintermediada e dos memes. Refletimos, ainda, se existe formação de opinião pública no ambiente digital devido às bolhas informativas.

Acesse, gratuitamente, o e-book aqui: http://portal.abrapcorp.org.br/livros-abrapcorp/Livro_Opiniao-Publica.pdf?fbclid=IwAR0JcuJjLPg5tKQX5KHCM66QH9eYqFW7Fmslvu-GgfTU5ZSdNlE3XsNQCDs.

 

 

No responses yet

Livro Gestão Estratégica em Comunicação de Crise, de Jones Machado

mar 02 2020

O livro de Jones Machado evidencia os conceitos relacionados à gestão estratégica de crises unindo, primorosamente, teoria e prática. Seu objeto de análise, aqui, é uma das maiores empresas não só da cena nacional, mas também mundial – a Petrobras – sob a lente das iniciativas digitais dela própria, com o Blog Fatos e Dados; um dos veículos de maior expressão jornalística nacional, o Blog do Noblat; e a mídia própria do Governo, o Blog do Planalto. Para além de toda essa análise cuidadosa, Jones ainda propõe uma matriz de gestão estratégica em comunicação de crise que, por meio das estratégias comunicativas e discursivas, empreendidas por todos esses agentes no campo organizacional, político e midiático objetivam a manutenção e recrudescimento de legitimidade no espaço social.

Acima, o trecho do prefácio que tive a honra e o prazer de escrever para esse livro incrível. Se faltavam referências sobre gestão de crises sob o ponto de vista da comunicação, não faltam mais.

Acesse o e-book gratuito: https://www.ufsm.br/cursos/graduacao/frederico-westphalen/relacoes-publicas/wp-content/uploads/sites/330/2019/10/Gest%C3%A3o-Estrat%C3%A9gica-da-Comunica%C3%A7%C3%A3o-de-Crise.pdf

No responses yet

A gestão de relacionamentos na transformação de realidades pelas RPs

fev 11 2020

Post de Jones Machado | Relações Públicas, Doutor em Comunicação, Professor Universitário.

Sempre digo três coisas importantes aos meus alunos. Primeiro, saibam sempre explicar sucinta e objetivamente o que um/uma relações-públicas faz. Segundo, dominem o desenvolvimento de ações e estratégias do seu trabalho e tenham senso de humanidade na direção de atender diversos e distintos objetivos por meio de relacionamentos. E, terceiro, tenham sempre em mente porque o/a RP atua nas organizações e junto à sociedade.

1. Somos gestores da comunicação das organizações

Quando falamos em Relações Públicas, logo pensamos em visibilidade midiática de uma organização, marca, produto, ideia, serviço ou personalidade. Tudo isso, graças ao empreendimento de ações e estratégias específicas da área. Porém, somos e fazemos muito mais do que a mera aplicação de métodos e técnicas profissionais que visam ao sucesso de um projeto.                                                                            

Fazemos relações públicas diariamente, além de darmos visibilidade midiática ao que realizamos. Por experiência própria no mercado e por receber todo ano novos estudantes na Universidade, considero necessário que a profissão seja conhecida pelo seu escolhido. Trata-se de uma questão de identidade, lucidez, pertencimento e valorização, que impacta diretamente no potencial a ser explorado por nós mesmos e em como somos percebidos.

Podem afirmar com segurança para a família, amigos e namorado (a): somos gestores da comunicação das organizações, pensamos e desenvolvemos a comunicação com funcionários, fornecedores e familiares da equipe de trabalho. Também, atuamos por meio da comunicação junto à imprensa, a influenciadores digitais, ao poder público e a parceiros não-governamentais ou de negócio. E, ainda, primamos pelo relacionamento estabelecido por ações de comunicação para mantermos laços fortes e duradouros com clientes, associações, sindicatos e outros públicos.

Nessa atuação, nunca esqueçam de levar sempre em conta o profissionalismo, a ética e de considerar as pessoas na sua diversidade cultural, de gênero, de sexo, de etnia, de idade, de cor, de classe e de origem. E uma máxima que sempre tenho em mente: sejamos autoexplicativos sobre nossa profissão, por meio de uma atuação objetiva, humana, eficiente e eficaz. Sendo assim, não precisaremos requerer atenção dos outros ou lamentar pelo desconhecimento da área por quem não faz parte dela.

2. Desenvolvemos relacionamentos

Não há organização que se sustente sem uma rede de contatos e relacionamentos de qualidade. É uma necessidade vital para curto, médio e longo prazos. Por isso, estabelecemos relacionamentos com outras empresas, com instituições de ensino, com agentes políticos, com o poder público, com a comunidade local, com dirigentes de organizações não-governamentais e muitos outros. Vale lembrar que este intercâmbio precisa ser honesto e leal, objetivando a troca de saberes e a possibilidade de novas parcerias para que desenvolvamos mutuamente soluções e aproveitemos potencialidades (intelectuais, locais, estruturais, etc.) para o bem comum da sociedade para além da sobrevivência organizacional.

Cada vez mais, o mercado contemporâneo requer que trabalhemos em parceria, de forma colaborativa, uma vez que é mais produtivo em questão de resultados e eficiente em termos de investimentos. Note-se que esse relacionamento empreendido é justamente o principal instrumento por meio do qual o relações-públicas realiza seu trabalho diário. Desde o colaborador, passando pelo fornecedor e pela imprensa, até o cliente, todos podem ser nossos parceiros; basta estabelecer um sistema ganha-ganha em que os objetivos de todos sejam contemplados.

3. Transformamos realidades

Talvez, essa compreensão sobre as Relações Públicas é a que mais me representa, me realiza e me orgulha. Estamos inseridos em um contexto sociocultural que não nos permite conceber iniciativas descoladas do macroambiente estabelecido. Pode parecer utópico/ideal, mas acredito que as RPs podem e devem transformar realidades: internas – das organizações, externas – das comunidades em que a organização está inserida, e de modo mais amplo – da sociedade.

Se a empresa ou instituição em que atuamos existe e prospera, devemos acreditar que se pode fazer um pouco mais, retornando a confiança depositada nela para a sociedade. Creio que diminuir as desigualdades sociais, culturais e econômicas também seja um dos nossos papeis. Acredito que devemos, ao mesmo tempo, atender aos objetivos das organizações assessoradas e também contribuir com a sociedade, começando pelos trabalhadores que tornam real aquilo que é entregue.     

Pode soar impossível, mas não é. As organizações têm esse potencial, com know-how e recursos para tornar as cidades lugares melhores, possibilitando oportunidades e transformando – cada vez mais – nossos espaços em espaços de igualdade assim como de diversidade de ideias e de pessoas, de diálogo, de respeito e de tolerância. E isso tudo começa dentro da organização, com um ambiente salubre, com local adequado para descanso e almoço, e ausência de assédio, discriminação e riscos à saúde física, por exemplo. É nosso dever perceber e viabilizar essas transformações junto aos gestores de outras áreas, a fim de manter o bem-estar de todos e todas.

Para finalizar minha contribuição às Relações Públicas e para que a realidade continue numa direção evolutiva, que beneficie a todos e todas e oxigene cada vez mais as estruturas vigentes enrijecidas por preconceitos, por “nós-sempre-fizemos-assim” e por estereótipos: sejamos ativos frente a qualquer adversidade que não nos permita pensar, realizar e transformar!

No responses yet

E-book gratuito fala sobre Tendências em Comunicação Organizacional

nov 28 2019

Com diversos autores, pesquisadores e gente de mercado que entende de Comunicação Organizacional, o grupo Estrato, da UFSM, lança mais um e-book que é um verdadeiro serviço a estudantes, profissionais e acadêmicos de Relações Públicas. O livro, Tendências em Comunicação Organizacional, traz temas contemporâneos sob o olhar de quem trabalha e/ou pesquisa as temáticas.

Participo, com muito orgulho, de um capítulo sobre INFLUÊNCIA DIGITAL: OPORTUNIDADE PARA A COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL.

Para baixar o livro, gratuitamente, basta acessar: https://www.ufsm.br/cursos/graduacao/frederico-westphalen/relacoes-publicas/wp-content/uploads/sites/330/2019/10/Livro-Tend%C3%AAncias.pdf?fbclid=IwAR0JJSasA3WFxQP5CzuF7yleV3TByxfEuVfdqxaZi4PINJPLc_Dvvn5ycYk.

 

No responses yet

Quer entender o que algoritmo tem a ver com Relações Públicas?

set 23 2019

Essa é a minha discussão no artigo “Relações públicas digitais como alternativa aos algoritmos das plataformas de mídias sociais” que acabou de sair na Revista Organicom.

O artigo, por meio de pesquisa bibliográfica acompanhada de exemplos reais originados de amostragem não probabilística intencional, trata da possibilidade de uso de estratégias de relações públicas digitais como uma alternativa ao bloqueio imposto pelos algoritmos das plataformas de mídias sociais. Apoiado em casos reais, o artigo é iniciado pela conceituação do algoritmo, passando pela caracterização das relações públicas digitais e, depois, abordando a utilização destas para compensar entraves impostos pelos sites de redes sociais. Por fim, apresentam-se as considerações finais.

Espero a sua opinião e leitura por lá: http://www.periodicos.usp.br/organicom/article/view/159884/156029.

 

No responses yet

Quer morar 30 dias em um motorhome produzindo conteúdo para as mídias sociais de um projeto? Saiba mais aqui!

set 18 2019

Vaga de nômade digital no Projeto Transformação Criativa 

O Projeto Transformação Criativa (@transcriativa), expedição que vai cruzar 12 estados brasileiros em 45 dias atrás de personagens da economia criativa, abriu vaga para um profissional de mídias sociais disponível pra compor a equipe que está morando num motorhome e, em 2 dias, mais de 300 candidatos se manifestaram, de 14 estados brasileiros. Apostando num novo modelo de trabalho, aplicando o nomadismo digital sobre rodas, a equipe do Transformação Criativa atualmente é formado pelo casal que encabeça o projeto, os empresários Alex Lima e Natalia Montbeller, ela grávida de cinco meses da Emilia, mais a Tainha, a pet da família, além de dois videomakers, Tami de Lara e Walter Bassanezi.

Eles saíam de Florianopolis dia 25 de agosto e já passaram por Curitiba (PR), São José dos Campos (SP), Campos do Jordão (SP), Santa Rita do Sapucaí (MG); Beelo Horizonte (MG) e Brumadinho (MG). Na data de hoje, 18/09, a previsão é a chegada na Chapada Diamantina. O roteiro ainda vai passar pelo interior de Pernambuco e Sertão do Cariri, Recife (PE), Maragogi (AL), Aracaju (SE), Salvador (BA), Vitória (ES), Parati (RJ) e chega de volta a Florianópolis em 10 de outubro.

Os interessados em embarcar nesta aventura podem mandar currículo via @precisamosdevc . A exigência é criatividade, conhecimento em foto, vídeo, design e mídias sociais, além de disponibilidade pra viver 30 dias num motorhome.

No responses yet

Entrevista no Programa Ponto de Encontro, com Vany Laubé, e comigo!

set 13 2019

No dia 10/09/2019, foi ao ar a entrevista que dei ao programa Ponto de Encontro, da Rádio MegaBrasil. Na ocasião, contei um pouco da minha trajetória pessoal e profissional e discutimos para onde vão as mídias sociais.

Ficou curioso/a? Acesse: http://www.megabrasil.com.br/audios/Ponto%20de%20Encontro%2010.09.19.mp3.

:-)

 

 

 

No responses yet

E-book gratuito sobre Inbound Marketing

abr 09 2019

Tive a honra de participar, como entrevistada, do e-book Inbound Marketing, produzido pela Daniela Bernardi, para a Udacity.

No livro, é possível ter uma boa ideia de como a metodologia funciona e pode ser aplicada às organizações.
E-book Inbound Marketing

No responses yet

Older posts »